Veni Creator Spiritus

Escrito em 16/04/2020
Pe. Leandro Couto

Vem, ó Espírito Santo,

E da tua luz celeste

Soltando raios piedosos

Nossos ânimos reveste.

Pai carinhoso dos pobres.

Distribuidor da riqueza,

Vem, ó luz dos corações,

Amparar a natureza.

Vem, Consolador supremo,

Das almas hóspede amável,

Suavíssimo refrigério

Do mortal insaciável.

És no trabalho descanso,

Refresco na calma ardente;

És no pranto doce alívio

De um ânimo penitente.

Suave origem do bem,

Ó fonte da luz divina,

Enche nossos corações,

Nossas almas ilumina.

Sem o teu celeste influxo,

No mortal nada há perfeito;

A tudo quanto é nocivo

Está o homem sujeito.

Lava o que nele há de impuro,

Quanto há de árido humedece;

Sara-lhe quanto é moléstia,

Quanto na vida padece.

O que há de dureza abranda,

O que há de mais frio aquece;

Endireita o desvairado

Que o caminho desconhece.

Os sete dons com que alentas

Os que humildes te confessam,

Aos teus devotos concede

Sempre fiéis to mereçam.

Por virtudes merecidas,

Dá-lhes fim que leve aos Céus;

Dá-lhes eternas delícias

Que aos bons prometes, meu Deus